Aecho Ambiental
AECHO_colorido.jpg

WIPE TEST – TLV-SL®

separador.png

            Existem três TLVs® (Threshold Limit Values) mais utilizados e conhecidos por quem consulta o livreto da ACGIH®: TLV-TWA, TLV-STEL, TLV-C. Entretanto, desde a versão de 2018, introduziu-se um novo tipo de limite: o TLV-SL®.

 

            TLV-SL® é um limite aplicável para concentrações de agentes depositados em superfícies, como equipamentos, mesas, armários, bancadas, pisos etc. Esse limite tem como objetivo complementar os outros TLVs®, a fim de fornecer um critério quantitativo de concentração (em massa/área) aceitável para superfícies. A sigla “SL” significa Surface Limit, ou Limite de Superfície, em português.

 

            Até o momento (ACGIH® 2021) são apenas dois agentes químicos com limites de exposição TLV-SL® e com notações específicas (SKIN-DSEN-RSEN):

 

o-Ftalaldeído

Anidrido Metiltetrahidroftálico, isômeros

 

            As notações têm o seguinte significado:

 

SKIN = perigo de absorvação cutânea (pele)

DSEN = sensibilizante dérmico

RSEN = sensibilizante respiratório

DSEN + RSEN = potencial de um agente causar sensibilização dérmica e respiratória

           

94449-4-perigos-da-poeira-para-a-sua-saude-respiratoria-770x400.jpg

COMO DETERMINAR A CONCENTRAÇÃO DESSES AGENTES?

separador.png

            A quantificação do material depositado em superfícies pode ser realizada por meio do Wipe Test, que consiste basicamente em coletar o material depositado em uma área, determinada por um gabarito de 10x10 cm, utilizando um lenço, posteriormente é armazenado em uma embalagem plástica lacrada e identificada para depois ser analisado pelo laboratório. Lembrando que o Wipe Test deve ser uma análise complementar a análise do ar.

 

            O lenço utilizado deve ser pouco fibroso, para não entupir os capilares ou nebulizadores em que a amostra dissolvida percorrerá durante a análise no laboratório, além de ter a característica de se dissolver completamente na solução utilizada para diluir a amostra, a fim de recuperar todo o material amostrado na superfície.

 

            Um exemplo de kit para o Wipe Test é o da SKC, com Ghost Wipes. No kit, além do lenço umedecido com água deionizada para coleta, acompanham o gabarito de papel para marcação da área a ser coletada, luvas descartáveis e embalagem plástica esterilizada.

LENCO.png

EXEMPLO DE COLETA

separador.png

            Dos dois agentes químicos com limite TLV-SL® atualmente no livreto da ACGIH®, destacamos o-Ftalaldeído, muito presente no ambiente hospitalar, por ser utilizado como meio de esterilização a frio para equipamentos sensíveis ao calor. Uma pesquisa realizada pela NIOSH, Instituto Nacional de Saúde e Segurança Ocupacional dos Estados Unidos, exemplifica a coleta e a importância do Wipe Test para tal agente.

 

HTB1azb4XEvrK1RjSszf760JNVXaB.png

O-Ftalaldeído (OPA)

          

            Apesar de ser mais seguro que o Glutaraldeído, utilizado nos EUA até 1999 e substituído pelo o-Ftalaldeído, este ainda pode causar reações adversas quando em contato com a pele, como irritações leves e desidratação do local. Em 2004 houve o primeiro caso de reação alérgica em um paciente que teve contato com um equipamento esterilizado com o-Ftalaldeído durante uma endoscopia.

 

            Por esse e outros motivos o Wipe Test é importante: com superfícies livres de contaminantes é possível prevenir a contaminação das vias dérmicas e a ingestão acidental de agentes químicos; prevenir a dispersão aérea do contaminante; prevenir a contaminação de áreas próximas à da utilização do agente.  

PROCEDIMENTO

separador.png

            O Wipe Test pode ser dividido em 4 passos, lembrando que o procedimento deve ser realizado com luvas esterilizadas, evitando contaminar a amostra:

1. Posicionar o gabarito na superfície a ser avaliada;

1.png

2. Fixar o gabarito com uma fita colante;

2.png

3. Utilizar lenço para "limpar" a superfície como desmonstra a figura;

3.png

4. Dobrar o lenço duas vezes e armazená-lo na embalagem plástica esterilizada.

Capturar.PNG

            Além da coleta em si, é necessário o registro de campo com os dados do local, peça ou equipamento avaliado, da função exercida, das condições do ambiente etc. Após a coleta, a amostra é enviada para o laboratório, que após analisá-la, emitirá um relatório com o resultado de concentração expresso em µg/cm2. Esse resultado junto ao da análise do ar para o mesmo agente, poderá fornecer dados suficientes para comparar com os limites do livreto da ACGIH®, possibilitando a conclusão sobre a exposição ao agente avaliado.

FONTES E LINKS

 

Edição 2021 - TLVs® and BELs® - ACGIH® livreto traduzido pela ABHO - Associação Brasileira de Higienistas Ocupacionais

 

NIOSH - Avaliação o-Ftalaldeído em Áreas Hospitalares https://www.cdc.gov/niosh/hhe/reports/pdfs/2006-0238-3239.pdf

 

Site Oficial da OSHA - Métodos e Padrões Pesquisados

https://www.cdc.gov/niosh/docs/2003-154/pdfs/9100.pdf 

https://www.osha.gov/surface-contamination/standards

https://osha.or,egon.gov/OSHARules/technical-manual/Section2-Chapter2.pdf  https://www.osha.gov/dts/sltc/methods/inorganic/id125g/id125g.pdf

 

Site da SKC - Lenços de Amostragens Ghost Wipes

https://www.skcltd.com/products2/surface-skin-sampling/ghost-wipes.html     https://www.skcltd.com/products2/surface-skin-sampling/wipe-sample-test-kit.html

 

FUNDACENTRO Norma de Higiene Ocupacional - NHO-8 região hemisférica da zona respiratória http://antigo.fundacentro.gov.br/biblioteca/normas-de-higiene-ocupacional/publicacao/detalhe/2013/3/nho-0-coleta-de-material-particulado-solido-suspenso-no-ar-de-ambientes-de-trabalho

 

Procedimento de amostragem – Wipe Test - RGA Lead Wipe Sampling Procedure https://www.youtube.com/watch?v=FLv8dUUxmfk

 

DEIXE AQUI SUA DÚVIDA, COMENTÁRIO OU REQUISIÇÃO DE SERVIÇO

separador.png